, Fórum PAS - Prática em Atenção à Saúde 2017

Tamanho da fonte: 
A abordagem lúdica na conscientização sobre depressão e a percepção da qualidade de vida dos usuários da USF Vitória Régia
Fábio Miranda Junqueira, Juliana Tangerino, Mariana Nogueira Leonel Silva, Marina Pimenta, Marina Vieira Maia, Mateus Ayres Barbo de Siqueira, Matheus Cruz Riccio, Miguel Vieira Paschoal, Nadjila Gabriela Santana Sidani, Natalia Ferreira Caneto, Natalia Murate Junqueira, Nicolas Jordy Barbieri

Última alteração: 2017-12-07

Resumo


Introdução: A depressão como sintoma característico de distúrbios emocionais, é uma patologia de grande importância na atualidade por ter se tornado bastante comum na população a nível mundial. É considerada uma síndrome quando inclui outros sinais, como alterações de humor, apatia, falta de capacidade de sentir prazer, etc.  Depressão, ou transtorno depressivo maior, é caracterizada por um período de, no mínimo, duas semanas, sendo que ao longo delas predomina um humor deprimido ou uma perda de interesse ou prazer por quase todas as atividades. No Brasil, a saúde mental passou por transformações a partir da reforma psiquiátrica. Compreendem um conjunto de transformações nos campos teóricos, assistenciais, jurídicos e socioculturais, propondo o cuidado a pacientes com transtornos mentais e proporcionando os cuidados necessários na comunidade, saindo dos hospitais psiquiátricos. Nesse contexto, a atenção básica surge como eixo estruturante essencial do sistema, pois atua como “porta de entrada”, coordenando e integrando o trabalho realizado por outros níveis de atenção, outros equipamentos ou por terceiros; gerencia os encaminhamentos; acompanha, de maneira longitudinal, a saúde do paciente durante a vida. Assim, as equipes de saúde da família responsabilizam-se pela inserção da saúde mental na atenção básica.Dessa maneira, é indispensável que a Estratégia Saúde da Família (ESF) sustente o estabelecimento de vínculos e compreenda aspectos importantes da dinâmica das relações familiares. A visita domiciliar surge como uma estratégia indispensável de interação no cuidado à saúde e é considerada instrumento privilegiado para alcançar tal objetivo.Nesse contexto, as visitas domiciliares realizadas pelos alunos do primeiro ano de Medicina, aliadas à percepção espacial e sociocultural da comunidade pelos Agentes de Saúde da Unidade de Saúde da Família Vitória Régia (USF Vitória Régia) em Sorocaba, demonstraram uma incidência relevante de depressão na população atendida. A necessidade de uma intervenção educativa abordando esse tema teve origem, então, visando proporcionar o esclarecimento sobre a doença, e diferenciá-la de tristeza para a população. A abordagem dos componentes principais foi feita com dados coletados na análise de prevalência da depressão nas microáreas atendidas pela USF Vitória Régia baseada nas respostas obtidas pelo questionário WHOQOL-BREF (The World Health Organization Quality of Life – WHOQOL - BREF) sobre qualidade de vida, acrescida da percepção dos alunos frente às visitas domiciliárias de abordagem do tema Depressão, reforçada pela constatação dos agentes comunitários e equipe da Unidade sobre a necessidade e relevância do tema frente à realidade da população assistida, em um estudo observacional e transversal. Qualidade de vida é a percepção do indivíduo sobre a sua posição na vida, levando em consideração a cultura e os sistemas de valores nos quais ele vive. É contemplado também a percepção em relação a seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. Por essa definição, revela-se o cuidado em explorar os diferentes fatores que se relacionam com a qualidade de vida, entre eles o transtorno depressivo. Palavras-chave: Depressão, Visita-domiciliar, Educação da População, Qualidade de vida, Participação da Comunidade Métodos: Aplicação de um instrumento de trabalho para coleta de dados, baseado no questionário WHOQOL (The World Health Organization Quality of Life – WHOQOL - bref), adaptado à realidade local. Foi utilizada como amostra a população adulta (idade acima de 15 anos) presente na Unidade de Saúde. A abordagem dos componentes principais foi feita com dados coletados em Visitas Domiciliares e relatos da equipe de saúde de prevalência da depressão nas microáreas atendidas pela USF, tratando-se de um estudo observacional e transversal. A intervenção realizada foi uma peça de teatro, na sala de espera, sobre as diferenças entre depressão e tristeza, sendo o lúdico a escolha de ferramenta a ser utilizada, com o intuito de facilitar o entendimento e captar a atenção da população. Como forma de estimular a participação do público alvo, foi realizado o evento intitulado “Teatro & Pipoca”, com apresentação da peça, simultânea à oferta de pipoca aos espectadores. Ao final do teatro, houve uma roda de conversa, visando esclarecer eventuais dúvidas da população sobre o tema ou algum trecho da peça em específico, e também o reforço sobre a importância da associação Psicoterapia-Antidepressivo. Teatro: Encenou-se uma realidade passível à da população atendida: uma senhora cujo único suporte familiar advém da filha, que irá mudar de cidade. Essa mudança atua como gatilho para desenvolvimento da depressão como doença, diferindo-se da tristeza, emoção normal e comum a todos.Há personificação do subjetivo, trazendo à peça a depressão, a tristeza e o antidepressivo como personagens que dialogam entre si, buscando manipular a personagem principal de acordo com suas características. A depressão como capricho do doente também é discutida, com personagens ignorando os sintomas presentes, subestimando-os. O resgate da protagonista se dá com o apoio da filha, associado ao diagnóstico de um médico e ao subsequente tratamento farmacológico e psicoterapêutico da depressão, ressaltando a importância dessa atuação conjunta como suporte ao paciente. Instrumento: O questionário WHOQO- BREF - The World Health Organization Quality of Life é um instrumento auto-aplicável, porém foi adaptado para o modelo entrevista, realizada pelos estudantes de Medicina do primeiro ano, na USF Vitória Régia. Conta originalmente com 26 questões, cujas respostas são avaliadas seguindo uma escala de Likert – de 1 a 5, sendo melhor a qualidade de vida quanto maior for a pontuação. Essa escala foi mantida, mas reduziu-se o número total de questões para 10.  A análise do questionário foi qualitativa, o que auxiliou o grupo a identificar os fatores que influenciam na percepção da qualidade de vida da comunidade. Resultados: O questionário adaptado foi realizado na sala de espera da Unidade Básica de Saúde e contou com um total de 30 pessoas de idade adulta (acima de 15 anos). As questões 1 e 10 apresentam maior relação com a auto-percepção de qualidade da saúde dos entrevistados, enquanto as questões de 2 a 9 referem-se majoritariamente à qualidade de vida sócio-ambiental destes. A intervenção teatral, por sua vez, captou a atenção dos espectadores, notável pelo silêncio da sala de espera, manifestado no início e ao longo da peça. A pipoca como meio atrativo mostrou-se eficaz, além de possibilitar um ambiente menos apreensivo e tenso, dada a temática abordada. Ao final da peça, a roda de conversa evidenciou-se produtiva, na medida em que houve grande participação dos indivíduos presentes. Discussão e considerações finais: Os resultados encontrados revelam uma resposta conflitante quanto à percepção dos usuários da USF Vitória Régia sobre a qualidade de vida e como se sentem quanto ao mau humor, desespero, ansiedade e depressão. Embora a população entrevistada caracterize a qualidade de vida, de maneira geral, como boa, ainda assim sentem-se insatisfeitos no âmbito emocional. Tal resultado pode ser explicado pelo tamanho pequeno da amostra, como por questões culturais relativas à percepção espacial e de sintomas e causa da depressão. A cultura pode ser fundamental na expressão de alguns sintomas específicos em detrimento de outros. Desse modo, evidencia-se a necessidade de adaptação e criação de escalas nacionais com linguagem apropriada e maior quantidade de descritores, bem como treinamento prévio dos entrevistadores de maneira a fazer aplicar o questionário de modo a obter respostas mais concisas e fidedignas, visando superar o viés cultural envolvido. Não obstante, é importante salientar que a avaliação psicológica não envolve apenas a medição e a interpretação de resultados isolados de diversos instrumentos. É imprescindível também a seleção do tipo de escala adequada e específica, escolhendo-se um ou outro tipo de instrumento de medida. A abordagem lúdica do teatro mostrou-se como importante ferramenta para promover a educação popular, dado que captou o interesse do público durante sua execução, que se mostrou concentrado na narrativa. O retorno participativo presente na roda de conversa ao final, com levantamento de dúvidas e identificação com determinadas emoções da personagem central, evidenciou o entendimento sobre a depressão e o compromisso daqueles indivíduos em se manterem atentos aos sinais e sintomas. Também foi referida a necessidade de valorizar as queixas do paciente depressivo, a adesão ao tratamento medicamentoso e psicoterápico como imprescindível e a importância da busca por ajuda profissional, recorrendo à Unidade de Saúde.


Palavras-chave


depressão; visita-domiciliar; educação da população; qualidade de vida; participação da comunidade

Texto completo: PDF